Assine nossa
newsletter

Conheça o Ciclo de Políticas Públicas

30.11.2023
Autor: Colab
governo

O estudo de políticas públicas como campo autônomo é recente, mas não faltam teorias para explicar o funcionamento do Estado e suas ações. Um dos modelos mais famosos é o ciclo de políticas públicas. Ele é usado como uma forma de mapear e destrinchar uma política do início ao fim, ou pelo menos até o seu recomeço.

A ideia é dividir uma política pública específica em etapas, formando uma sequência lógica ou cronológica. A partir de cada etapa, aí sim cabe um aprofundamento e o uso de outras tantas teorias. 

Existem muitos ciclos diferentes, que variam no número e na complexidade das etapas. Mas a maioria deles tem algumas etapas em comum, que são:

  • definição do problema
  • formação da agenda
  • formulação de alternativas
  • legitimação das decisões
  • implementação
  • avaliação

Definição

A primeira etapa – definição do problema, está relacionada à caracterização da situação, trazendo uma análise do contexto atual e do impacto dessa questão na vida das pessoas. Nesse caso, podemos nos perguntar o que torna tal situação um problema para o qual o Estado deve olhar e agir? Existem dados para medir e analisar esse problema?

Formação de Agenda

Depois de caracterizar o problema público, é preciso que ele faça parte da agenda política, ou seja, que ele seja tratado como um assunto importante pelos atores políticos. Muitas vezes, é a população e a mídia que pressionam os políticos por alguma solução. É muito comum que um problema exista há anos, mas que nunca tenha sido alvo de discussão ou tomada de decisão pelos gestores públicos. 

Autor: Colab

Descubra como a IA está transformando governos com o Chat GPT


Baixar

Colab na Mídia

22.02.2024

Segurança de dados: um ponto que merece a atenção das gestões públicas

13.02.2024

Transformação digital: como ela pode contribuir na gestão pública colaborativa

08.02.2024

4 fatores que comprovam a relevância da inovação no governo

21.02.2024

Engajando a população: 6 estratégias para uma gestão pública eficiente