Assine nossa
newsletter

Design systems: Motivação, relevância e uso no Colab

30.11.2023
Autor: Colab
governo

Já reparou que quando tratamos dos produtos digitais de algumas marcas, reconhecemos a quem esses produtos pertencem só de olhar para eles ?

Observe as duas imagens a seguir:

Mesmo que o conteúdo das páginas seja tremendamente diferente, ao analisar ambas, é possível inferir que essas 2 páginas estão relacionadas de alguma maneira. Mas por que isso acontece ?

#Linguagem Visual

É extremamente benéfico para uma marca possuir uma linguagem visual e de funcionamento, já que elas servem ao propósito de criar padrões de uso para os produtos dessa organização. O que significa que

Na prática, quanto mais uma pessoa usa um determinado produto de uma marca, mais intuitivo será para ela usar não só a ferramenta na qual está inserida, como todos os demais produtos pertencentes à mesma marca.

E isso é importante devido a um conceito chamado reserva de boa vontade, explicado no excelente livro Não me faça pensar, de Steve Krug.

De maneira extremamente simplificada, a reserva de boa vontade pode ser definida como quanta paciência o usuário de uma aplicação tem para consumar seu objetivo nela. Quanto mais complicada e confusa for a jornada do usuário, mais a reserva de boa vontade do usuário vai se esvair, e maior a chance de que ele deixe a sua aplicação.

Um dos principais objetivos de um design system é tornar toda a experiência do usuário mais intuitiva e coerente, estabelecendo regras simples para os produto da marca e respeitando-as, criando assim uma padronização, que facilita o uso e entendimento de todas as aplicações lançadas por ela.

Um dos principais objetivos de um design system é tornar toda a experiência do usuário mais intuitiva e coerente, estabelecendo regras simples para os produtos da marca e respeitando-as, criando assim uma padronização, que facilita o uso e entendimento de todas as aplicações lançadas por ela.

Como dito por Karin Saarinen, em seu artigo Building a Visual Language – Behind the scenes of our new design system:

“O design sempre foi principalmente sobre sistemas e como criar produtos de forma escalável e repetível. De cores Pantone a parafusos Philips, esses sistemas nos permitem gerenciar o caos e criar produtos melhores. Os produtos digitais são talvez o terreno mais fértil para a implementação desses sistemas e, no entanto, nem sempre são considerados uma prioridade.”

E assim como nas cores Pantone, ou nos parafusos philips, os benefícios de um design system não estão apenas na praticidade para o cliente final, mas também no barateamento da produção de produtos.

#Como um design system pode baratear uma aplicação ?

Certa vez eu ouvi a seguinte frase:

“Entre brincar com código no seu computador, e trabalhar numa aplicação comercial, existe uma diferença de complexidade gigantesca“

E eu não poderia concordar mais. Quando tratamos de aplicações comerciais, onde qualquer detalhe impacta diretamente nos resultados do serviço oferecido (quer você perceba ou não) o grau de cuidado que tem de ser tomado em toda e qualquer decisão é muito maior.

  • É importante que a aplicação seja acessível, e isso levanta questões do gênero: Como uma pessoa daltônica vai interagir com o que eu estou construindo? Como uma pessoa cega vai interagir com o que eu estou construindo?;
  • É importante que a aplicação seja responsiva, e para isso devemos pensar no funcionamento da aplicação em celulares e computadores;
  • A aplicação deve ser veloz, e deve existir uma preocupação em garantir que ela funcione bem em conexões de baixa velocidade (como redes móveis, por exemplo);
  • Entre outros diversos cuidados que devem ser tomados.

E essa complexidade deixa a construção de todos os componentes de um sistema muito mais custosa do que ela pode parecer de fora, tornando assim o processo de desenvolvimento caro, especialmente em caso de organizações que, assim como o Colab, possuem diversas aplicações, já que sem um sistema inteligente de regras para a reutilização de esforços, pode-se cair na armadilha de resolver o mesmo problema várias vezes.

Também é importante considerar que como o design de software tem poucas restrições físicas em comparação com muitas outras disciplinas. Isso faz com que a variedade de soluções possíveis para qualquer desafio sejam abundantes, o que pode gerar experiências de uso desconexas entre aplicações de uma mesma marca. Além disso, ao ter a mesma solução recriada várias vezes por pessoas diferentes, aumentamos o risco de que algumas dessas implementações possuam defeitos, o que pode fazer com que a mesma solução funcione melhor em alguns lugares do que em outros.

Por exemplo, digamos que dentre todas as aplicações de uma organização, tenhamos 6 tipos de botões, distribuídos em 6 aplicações diferentes. Se o botão da aplicação 1 apresenta um determinado defeito, teremos de testar os botões das outras 5 aplicações em busca do mesmo erro, e corrigi-los individualmente.

Com a ajuda de um design system (equipado com as ferramentas corretas) é possível evitar esse problema, unificando e centralizando as diferentes partes que compõe o sistema em um único lugar.

Isso não só torna muito mais fácil rastrear e localizar problemas, já que tendo um único botão que é utilizado em 6 componentes diferentes, só temos que nos preocupar em corrigir o problema, mas também evita o trabalho de construir os mesmos componentes básicos várias vezes para cada aplicação nova.

Autor: Colab

Aprenda a digitalizar serviços públicos com nosso curso gratuito exclusivo. Transforme a experiência do cidadão e aumente a eficiência da sua prefeitura.


Inscreva-se!

Colab na Mídia

22.04.2024

Veja como o Colab melhorou a eficiência de alguns municípios

17.04.2024

Veja como o Colab atua na prevenção contra a dengue

16.04.2024

Atendimento multicanal: veja detalhes da parceria entre Colab e Prefeitura de Santo André

10.04.2024

Otimize os dados do seu município e melhore a prestação de serviços

13.03.2024

Indicadores de performance na gestão pública: fatores para levar em consideração

22.02.2024

Segurança de dados: um ponto que merece a atenção das gestões públicas

13.02.2024

Transformação digital: como ela pode contribuir na gestão pública colaborativa

08.02.2024

4 fatores que comprovam a relevância da inovação no governo

16.05.2024

Saiba qual é o poder do design de serviços na transformação do setor público